Explique sobre o seu negócio de maneira clara, pois você é quem mais aprenderá.

Dia corrido, diversos trabalhos e emails a serem encaminhados, agendamento de reuniões, levar irmão mais novo para tomar vacina, assim decido não visitar nenhum cliente, pois o dia estava cheio. Mas em meus planejamentos estava tirar um tempo para escrever sobre “Como pessoas tóxicas podem prejudicar e muito no ambiente de trabalho”, algo que já vivenciei e vi muitos artigos referentes nas ultimas semanas em diversas mídias. Entretanto meus planos mudaram em relação ao artigo após a ligação de um antigo amigo que está focado em seu TCC de administração. Ele queria exemplos práticos sobre as 5 forças de Porter, pois estava com dificuldades em aplicá-las no case que está utilizando, e nisso vi uma oportunidade. 

Sempre fui uma pessoa de ensinar, passar o conteúdo e conhecimento em determinadas áreas, porém fazia um bom tempo que não tinha esses momentos. Prontamente na conversa com ele comentei que o ajudaria, trabalhando com o case de minha própria empresa para responder as questões e os tópicos das 5 forças. E sinceramente, como me senti bem em ter feito isso. Primeiro, para situar quem está com dúvida sobre quais são e o que é as tais forças, resumirei:

“As 5 forças de Porter são ferramentas utilizadas na área administrativas referente a estratégia de negócios e análise de ambiente externo. Em um geral conhecer melhor seus concorrentes, suas vantagens, desvantagens, seu segmento…” 

Veja aqui um exemplo: O modelo das cinco forças de Porter

Utilizando o case da Pêssego Atômico – Produções multimídia e Consultoria em Marketing muitas coisas clarearam sobre meu próprio negócio, sobre minha região e diversos outros pontos. Claro, tudo isso fazemos quando estamos montando a estrutura de nosso negócio, mas são poucos os momentos que depois disso paramos para avaliar toda a realidade. Acabamos diariamente focados em números, estatísticas, afazeres, reuniões, pretenções… Mas avaliar a situação ao redor são em horas bem pontuais. Guiá-lo, explicar de forma mais didática, exemplificar… me trouxe todo aquele sentimento que não tinha há tempos, e com isso o sentimento de quem estava aprendendo mais era eu mesmo. É muito tranquilo entendermos de nosso negócio, passarmos missão, visão, valores, produtos… seja lá o quer for. Mas falar, explicar para alguém toda relação de negócios, de marketing, como se inserir no mercado, como trabalhar em determinado ramo em x região, e outros muitos pontos citados é algo muito diferente, pois vamos a fundo em nós mesmos, achamos erros, problemas, oportunidades e temos novas ideias. 

“Por quê eu fiz isso? Por quê optei trabalhar nisso?” São perguntas que vem imediatamente. E ao mesmo tempo que vamos nos questionando e ensinando, também nos respondemos: “Porque isso é muito bom!”(Ou pode ser o momento em que você reflete sobre não estar no ramo certo…). São situações como essas que nos faltam, e é um imenso prazer quando nos chegam de surpresa, mudando todo nosso planejamento e conseguindo tornar o dia mais rico. A melhor maneira de aprendermos, de pensarmos em nós mesmos, em nossos negócios, é ensinarmos e falarmos sobre eles. É quando temos que explicar para que seja claro, na forma mais fácil de se entender que percebemos que estamos aprendendo. Ensinar algo é como passar uma notícia (Para mim que também trabalho com jornalismo), como já dizia Ricardo Boechat “Você tem que passar a notícia de uma forma que a Marianinha de 10 anos entenda e que o seu João de 60 anos também compreenda”. (Posso ter mudado os nomes do exemplo, mas a ideia era essa).

No fundo nós sabemos disso; quase sempre que ensinamos algo o pensamento que vem é “Que a melhor forma de aprender é ensinando”. Essa frase já é antiga, mas impressionante como quando ficamos muito tempo sem isso, o sentimento vem como se fosse algo novo. Quando ensinamos sobre a nossa área, algo que estamos vivenciando todo dia acaba sendo diferente do que ensinar um conhecimento ou habilidade em específico, o que me agregou ainda mais, – até ligado a outra conversa que tive no mesmo dia sobre incentivo – pois esses atos são estímulos para nós mesmos e vindo de nós mesmos, pois ali mostramos para nós que entendemos, que sabemos, que podemos e fazemos jus a quando resolvemos trabalhar com aquilo. Principalmente quando alguém pede essa informação para você, pois acredita que você tem a informação e conhecimento para passar a ela. Por fim, fico extremamente feliz que meu amigo confie em mim para ajudá-lo em um momento tão importante como o TCC, mas ainda mais feliz por perceber que isso foi muito importante para mim mesmo, pois me deu aquele gás e aquela confiança de que estou no caminho certo na escolha que tomei. 

E você, está passando seus conhecimentos? Está mostrando para você mesmo que você está sabendo lidar com seu negócio? 

________________________

Pedro Gonçalves é Coordenador de marketing na Pêssego Atômico – Produção multimídia e Consultoria em Marketing, trabalha com consultoria e gestão com diversos clientes na região da AMUREL em Santa Catarina. 

Também é host do podcast Pêssego Podcasts onde fala de Literatura, Cinema e Quadrinhos, e possui quadros semanais nas rádios Porto Gravatá (Gravatal – SC) e Pamppas WEB (Porto Alegre – RS). 

Roteirista de Sketches de comédia pela The Second City – Comedy School de Chicago.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *